logo small

TJSP RECONHECE A POSSIBILIDADE DE OFICIAL DE JUSTIÇA ARREMATAR IMÓVEL

 

Recentemente, a 22ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo considerou legal a arrematação de imóvel em leilão público por servidor do Poder Judiciário.

Afirmou o Relator que, muito embora o artigo 890 e seu inciso III do Novo Código de Processo Civil determinem que somente pode oferecer lance quem estiver na livre administração de seus bens, com exceção dos demais servidores e auxiliares da justiça, o entendimento visa evitar que os integrantes do Poder Judiciário possam exercer, de alguma forma, influencia a favorecer seus próprios interesses no caso da aquisição do bem levado a leilão público.

Entretanto, na hipótese em comento, em que pese o Oficial de Justiça exerça sua função na cidade de Goiás e o imóvel se esteja situado na mesma localidade, todo o processo em que se resultou a arrematação do imóvel em leilão público, ocorreu em localidade diversa, ou seja, em São Paulo.

Assim, esclareceu o Relator que o ponto fulcral da vedação “está efetivamente na localidade em que o processo se desenrola e não na localidade em que se situa o bem”, pois, ainda que o Oficial de Justiça possa conhecer o imóvel e suas particularidades, sua função não permite que influencie em processo que tramita em Comarca diversa.

Destarte, o entendimento exarado permite esclarecer a controvérsia acerca do impeditivo legal, criando a possibilidade de servidores e auxiliares da justiça, participarem e ofertarem em leilão público que tramita localidade diversa da qual atua.

Por: Fabiana Campos - Advogada CMMM

São Paulo

Rua Iguatemi, 354
2º, 3º, 5º, 6º, 7º e 11º Andares
CEP: 01451-010 - Itaim Bibi - SP
Veja nossa localidade aqui    

Rio de Janeiro

Av. Nilo Peçanha, 50 sala 1411
CEP: 20020-906 - Centro - RJ
Veja nossa localidade aqui    

Recife

Rua Senador José Henrique 231. 
Sala 902
CEP: 50070-460 - Ilha do Leite - PE
Veja nossa localidade aqui    

Siga-nos e acompanhe nossas novidades, dicas e artigos

Contato